Tags

, ,

Muitas vezes vamos receber uns amigos em casa para uma reunião bem informal e não sabemos o que servir. Ou bate aquela  vontade de algo gostoso para tomar com uma cervejinha. Quando não estamos dispostos a ficar horas na frente do fogão e queremos algo mais do que simplesmente pedir comida eu lanço mão das falsa empanadas.

Este post é mais uma dica de praticidade do que uma receita propriamente dita (embora seja as duas coisas). Explico. Cozinhar para mim sempre foi colocar a mão na massa e produzir todas as etapas de um prato. Se possível até com ingredientes de uma horta caseira. Esta influência herdei da família do interior. Pão era feito em casa, molho de tomate somente o fresco, massas, tortas, comidas fresquinhas e diferente todo dia.

Entretanto os tempos são outros e aprendi que não cabe mais na vida atual fazer a massa de macarrão, salvo em ocasiões especiais. Nhoque só nas festas de família e por aí vai. Antigamente as mulheres ficavam em casa, e desde manhã já estavam na cozinha preparando o almoço. Hoje congelados e deliverys estão presentes em nossa vida muito mais do que gostaríamos.

Mas foi observando chefs de cozinhas da Inglaterra com o Jamie Oliver (Amo!) e a Nigela (Adoro!) que aprendi que cozinha pode ser sim abrir um monte de lata e misturar em uma massa pronta. Quando vi o Jamie em ação juntando em uma cumbuca um monte de produtos industrializados e levando ao fogo pensei: ele pensa que tá cozinhando? Mas na verdade, tá! Na inglaterra o povo abre a lata e come ou pede comida. Ele tá incrementando o que já vem na embalagem. Até mesmo porque se não for na latinha você não encontra o produto. Tanto o Oliver com a Nigela amam usar massas prontas em suas receitas.

Então como fiel discipula adotei esta nova vida. Uso massa de pastel de forno (que não é de fato a mesma massa de empanada mas fica uma delicia) e capricho no recheio. Todo mundo adora e lambe os beiços. Um dia escutei de uma amiga: mas não foi você que fez a massa. Sim, não foi mesmo! E nem você que fez a massa do macarrão e nem o molho enlatado que comemos no almoço (risos). Então ser recebida com algo feito por alguém, mesmo que pela metade, eu acho tudo de bom.

Chega de blá blá. Corra para o supermercado procure massa de pastel de forno e convide uns amigos. O bom é que se sobrar dá para congelar (e depois é só aquecer na hora da fome da madrugada). E melhor ainda: estas empanadas ou pastéis de forno combinam tanto com cerveja no verão como com vinho no inverno. E  a variedade de recheios chegam até onde for sua criatividade. Frango com catupiry, pizza, calabresa, peito de peru com queijo branco. Eu gosto muito do recheio tradicional de carne moída e do de palmito.

AS DELICIOSAS EMPANADAS:

Recheio quentinho! Massa fininha!

RECHEIO DE CARNE OU SALTENHA

2 embalagens de pastel de forno ( 20 unidades)

500 gramas de patinho moido duas vezes.

1/2 cebola grande

2 tomates italianos bem picadinhos

2 ovos cozidos picados (5 minutos de cozimento)

Azeitonas ou Uvas Passas a gosto

1/2 lata de molho de tomate pronto (escolha a versão tradicional)

Óleo, sal, manjericão ou orégano, pimenta dedo de moça

Em uma panela com um pouco óleo refogue a cebola até ficar transparente. Se quiser coloque meia dedo de moça (sem sementes) e os tomates até reduzir. Acrescente a carne, doure e coloque o restante dos ingredientes. Cozinhe por uns 10 minutos, tempere e tá pronto. Se quiser uma versão mais doce use as passas ou se preferir azeitonas pretas. Recomendo as duas versões.

Coloque duas colheres de sopa de recheio em cada massa e feche apertando com o garfo. Quem gosta de comida com cor tem que passar uma geme de ovo batida por cima da massa. Se gostar ainda pode salpicar gergelim. Deixe no forno até dourar.

RECHEIO DE PALMITO

2 embalagens de pastel de forno ( 20 unidades)

1 cebola grande

2 tomates italianos

1 vidro de palmito

Óleo, sal, manjericão ou orégano, pimenta dedo de moça

Em uma panela com óleo refogue cebola, tomates e palmitos tudo bem picadinho. Tempere e pronto. Recheie e asse da mesma maneira.

Enjoy!

Anúncios